Barcelona também luta pela inclusão!

No dia 13/06 ocorreu, em Barcelona, principal cidade da província da Catalunia/Espanha, importante manifestação da Comunidade Surda em defesa da educação bilíngue para crianças e jovens Surdos. O lema da manifestação foi: “Educação 100% acessível em língua de sinais já!” e foi organizada pela Plataforma Volem Signar i Escoltar cuja tradução do catalão para o português é Frente Queremos Sinalizar e Escutar.

Várias pessoas seguram uma faixa onde se lê, em catalão, a frase "Educação 100% acessível em língua de sínais".

Seu nome já diz tudo. Eles existem para fomentar a língua de sinais e lutar contra toda forma de discriminação que exista contra ela. Por isso, sua principal bandeira de luta é que os estudantes Surdos tenham acesso à educação bilíngue em modalidade oral e em língua de sinais e que todos os profissionais (fonoaudiólogos, por exemplo), que participam do processo educativo e outros serviços de atenção às crianças surdas, respeitem a legislação.

A Marcha contou com militantes compostos por estudantes, familiares, profissionais da educação e, como não poderia deixar de ser, a L2 se fez presente, por meio de uma de suas colaboradas que se encontra por lá, Nathália que, juntamente, com Núbia   (pesquisadora e militante pela defesa dos direitos da pessoas surdas) compuseram a atividade.

A manifestação percorreu um longo trajeto em uma avenida importante e movimentada da cidade de Barcelona, chamando atenção da sociedade para a problemática. Terminou no Departamento de Ensino da Catalunia, órgão responsável pela gestão da educação na província, onde os líderes da Frente levaram suas principais reivindicações em defesa da educação dos estudantes surdos catalães.

Eles pedem mais intérpretes e professores de língua de sinais, além de uma mudança de postura de profissionais, no intuito de que eles forneçam informação completa aos pais de crianças surdas, incluindo a possibilidade do aprendizado a língua de sinais e seus benefícios.

Apesar dos avanços da Catalunia quando comparamos com o que já vivenciamos em Estados brasileiros, os Surdos ainda não têm seus direitos plenamente assegurados nem lá e nem aqui. Nossa luta permanece na busca incansável pela ampliação das garantias dos direitos e que os avanços que eles já têm experimentado e, principalmente, a força com que seguem lutando, nos inspire no Brasil.

 

Autoras:

Nathália Lopes Caldeira Brant, assistente social do IFSULDEMINAS-Campus Machado, doutoranda em Serviço Social pela PUC-SP em fase de doutorado sanduíche na Universitat  Autònoma de Barcelona (UAB)

Núbia Garcia Vianna, fonoaudióloga, doutoranda da área de Saúde Coletiva – Políticas, Planejamento e Gestão em Saúde pela Universidade Estadual de Campinas e em estágio na Universidade de Barcelona.

_________________________________________________________

Informações obtidas em:

Site da Plataforma: http://volemsignariescoltar.blogspot.com.es

Página no facebook: https://www.facebook.com/plataformavolemsignariescoltar/

Periódico Izquierda Diario: http://www.izquierdadiario.es/Los-ninos-sordos-quieren-poder-firmar-y-escuchar?id_rubrique=2653

About Nathália Lopes

Na insistência em acreditar na humanidade, luta por uma sociedade mais justa, mais igual, mais humana. Segue no sonho em participar da construção de outra sociabilidade, fortalecendo a luta contra qualquer injustiça que se coloca contra qualquer um! Encantada com as maravilhas da natureza, gosta de viajar e conhecer novos lugares!

Responder